Os 10 posts mais vistos do ano

Ter esse blog foi um desafio. Hoje vejo como ele me ajudou a me tornar um profissional e uma pessoa melhor.

Analisando os posts mais visualizados, não vejo um padrão, mas… tudo bem, não estou procurando por isso!

Ah, essa é a lista dos posts mais lidos, não quer dizer que são os melhores! (até por que essa classificação eu não fiz!):

1 – [Review] O poder do hábito.

2 – [Review] O corpo fala

3 – 10 lições aprendidas assistindo “The Wolf of Wall Street”

4 – 50 frases inspiradoras

5 – Aumento salarial não se pede, se conquista

6 – 6 dicas para lidar com pessoas que duvidam da sua capacidade de ser bem sucedido

7 – Conhecimento como commodity

8 – Elon Musk: Porque ele sonha tão grande e o que podemos aprender

9 – Me tornei um líder… E agora?

10 – [Review] O maior vendedor do mundo

O mais importante desse blog, é você. Obrigado e que em 2015 continuemos a fazer um trabalho que tenha significado. Até lá!

Anúncios

Líder e executor. Qual a diferença?

Quando você viaja de avião, a parte mais chata é esperar as malas. Depois do avião pousar, todo mundo fica perto da esteira, esperando por sua mala, como geralmente leva um tempo até elas chegaram, esse é um momento onde ligamos para uns amigos, ou conversamos com nossos companheiros de viagem, sejam eles velhos conhecidos ou novos. Como todo mundo fica meio “amontoado”, a visão para os que ficam atrás é um pouco difícil. Conforme as malas chegam, os que estão perto pegam suas malas, e se retiram, enquanto isso, as outras malas vão se empilhando, e ninguém faz nada.

 

Parte chata e necessária da viagem...
Parte chata e necessária da viagem…

Vamos supor que algum passageiro, tome uma atitude e resolva agir da seguinte forma: ele vai até a esteira e começa a chamar o nome das malas que vão chegando! Alguns passageiros provavelmente dirão: – Até que enfim, alguém faz alguma coisa!

Porém, quando a mala desse individuo chega, ele retira-a da esteira, e parte… deixando os demais passageiros, na situação habitual. Ele se locomove, com uma sensação de líder e de extrema valia… quando alguém diz: – E, agora? quem vai fazer isso?

A pessoa que fez essa ação, foi ótima… se sentiu líder por alguns momentos…mas, não foi! Líder é aquele que faz com que outras pessoas engajem na sua “vibe”!

Para a pessoas ser considerado um líder, um lííííder de primeira, ela deveria:

1 – Identificar passageiros que também tinham habilidades para fazer o que ele estava fazendo(habilidades);

2 – Chamar essa pessoa e perguntar: “Você acha que podemos fazer esse trabalho de uma forma mais rápida?” (missão, comprometimento e planejamento);

3 – Criar um modelo de comportamento para aquela tarefa e continuar a recrutar pessoas, direta e indiretamente;

4 – Falar da importância dos ajudantes e agradecer, sinceramente.

Líderes de sucesso, jamais escutarão, “e agora? o que faremos?” quando partem.

A pessoa que chamou o nome das outras na esteira, no começo do texto, foi um individuo que contribuir bastante com o grupo, teve atitude, mas isso não basta para um líder.

Indivíduos com atitudes são essenciais. Eles sempre fazem um ótimo trabalho.

É fácil se achar um líder, quando você está no centro da ação. Motivar as outras pessoas a realizaram a mesma ação que a sua, isso sim é liderar.

Agora que você já sabe a diferença de um líder e um executor, cabe a pergunta:

E você, está sendo um líder ou um “executor”? Pense nisso!

Adaptado de ” I feel like a lider but i wans’t.”

 

[Review] O Príncipe

O livro que será comentado nesse post é “O Príncipe”, escrito por Maquiavel, publicado 1515. Como todo autor clássico, Maquiavel fez uma obra que ultrapassa o tempo, mesmo nos dias atuais, sua obra é essencial a todos que exercem algum cargo de liderança. Todo empreendedor é um líder, logo, leitura necessária!

Quando Maquiavel escolheu o título do livro, O Príncipe, ele não pretendia restringir sua obra a apenas a Príncipes(nos dias de hoje, Príncipe é o filho de algum monarca, destinado ou não a ocupar o trono) ao contrário, em sua obra, esta palavra designa o principal cidadão do estado. Então, com este livro, procurou estudar e orientar a pessoa que governa, seja na esfera pública ou privada.

Destacarei alguns trechos que consideramos importante, em seguida faremos considerações. Vamos lá!

(…)Além disso, a presença do governante inibirá a ganância de seus lugares tenentes em despojar a província. Os súditos poderão ter acesso direto ao Príncipe para suas reclamações. Por isso, se quiserem agir com lealdade encontrarão mais razão para amá-lo; e, se tiverem a inclinação contrária, terão mais motivos para temê ló. (…)

Esse pensamento é bem claro, o governante deve manter canais de comunicação, que funcione para seus liderados falarem e pata que ele responda. Isso servirá para medir sua aprovação através de comentários, e saber se seu projeto administrativo está sendo aceito. A informação é tudo para o governante. O Principe inteligente ao perceber algum mal entendimento, ou não aceitamento de algum estratégia/comando… pode rapidamente resolver, antes que vire um problema viral.

(…) é bom ser e parecer piedoso, fiel, humano, íntegro e religioso; mas é preciso ter a capacidade de se converter aos atributos opostos, em caso de necessidade.(…)

Aqui, pode se entender que todo o Principe deve ter uma aparência de um um homem calmo e amigável. Isso desperta a confiança nas pessoas. Porém, com a mesma intensidade que se mostrou essas qualidade positivas… Deve se também mostrar os atributos opostos quando necessário! O líder deve ser rígido com problemas que afetam sua área… Para que eles sejam resolvidos e não mais ocorram. Demonstrando essa dualidade, dificilmente, os liderados vão querer “pisar na bola”.

“(…) aqueles que se tornam príncipes exclusivamente pela sorte empregam nisso pouco trabalho, mas só a muito custo se mantém na nova posição(…)”

Na ótica de Maquiavel, a preparação para se chegar ao poder, deve ser uma estratégia a ser estudada e percorrida… Se for feita dessa maneira, o principe conseguira assumir e realizar suas tarefas com eficiência e eficácia, conseguindo atingir os objetivos propostos.
Agora,se príncipe chegou ao poder pela sorte, como tudo na natureza que nasce e cresce com rapidez, enfrenta grandes dificuldades para resistir a ventos fortes.
Neste caso a situação do principe não será das mais fáceis, mas a solução será recuperar o tempo perdido, estudando como ser principe, já no poder, correndo o risco de não tomar boas de decisões.

“(…) por isso, o príncipe prudente procurará meios pelos quais seus súditos necessitem sempre do seu governo, em todas as circunstâncias possíveis – e fará, assim, com que lhe sejam sempre fiéis(…)

Neste trecho, Maquiavel diz que o governante deve sempre criar uma certa dependência dos liderados para com líder, porque dessa forma, eles sempre o vão procurar.
Se o príncipe, tomar boas decisões, sempre alcançar os objetivos traçados, já estará criando uma dependência, porque é esse o objetivo do líder.

“(…) pois os homens nunca se inclinam a empreendimentos que prometem ser difíceis, e nunca parecera fácil atacar aquele que tem sua cidade bem defendida, e não é odiado pelo povo(…)”

O príncipe deverá ter também ao seu lado uma boa equipe, que o ajudará nas decisões. Ele poderá passar algumas tarefas que julgar necessárias ser feitas para seu corpo técnico. É importante salientar que sempre que houver recompensa envolvida, o príncipe deve ser o primeiro a participar, dessa forma estará linkando seu nome a algo positivo.

“(…) os príncipes, por conseguinte, nao deveriam ter outro objetivo ou pensamento, além da guerra, suas leis e sua disciplina(…)”

O autor comenta que o príncipe deve sempre ter em mente a guerra, hoje podemos entender guerra como a concorrência ou até mesma a sua permanência no poder.
O pensamento deve estar sempre na guerra, mas no sentido de traçar estratégia para vencer. Focar na solução, ainda que futura, não no problema.


Maquiavel tem uma grande preocupação com a imagem pública do príncipe. Ele recomenda que o mesmo, sempre tente aparentar ter mais qualidades positivas do que realmente tem. Dessa forma, ele estará fortalecendo se entre os seus e amedrontando os adversários.

Procuramos aqui, destacar alguns pontos importantes que todo líder de observar. Esperamos que este objetivo tenha sido atingido! Finalizaremos como uma frase de Maquiavel: “Decidir o destino de terceiros, distribuir o bem e o mal, eis o que aproxima os príncipes dos deuses e dos demônios.”

20130204-002435.jpg

Me tornei um líder… E agora?

Nesse mudo competitivo em que vivemos, cada um quer ter mais sucesso que o outro. E com toda certeza, uma das dificuldades de quem está no mundo corporativo é ser Líder.

Uma palavra fácil e uma atribuição deveras importante. É através dele, que a empresa terá ou não, SUCESSO(de novo a palavra tão procurada).

Uma pessoa só se torna um bom líder se ele toma as decisões com firmeza e tem conhecimento daquilo ou de quem ele está liderando. Se seus liderados não sentem confiança em seu comando, com certeza, ele não obterá bons resultados.

Na série de televisão LOST, onde um grupo de pessoas ficam presa em uma ilha em um desastre de avião, tem um exemplo claro de formação de liderança. No primeiro episódio vemos um médico socorrendo pessoas, e dando orientações sobre como se manter vivas. Naturalmente, ele se torna o líder daquelas pessoas, porque ele era tudo que elas precisavam: alguém que inspirava confiança.

Jack na liderança
Jack na liderança

Se você se tornou um líder, você precisa ter conhecimento de causa(como funciona o setor, a empresa, quem você liderará) e sede de conhecimento. Dessa maneira, você não será o melhor líder, mas estará em vias de ser.

Para finalizar, fica essa metáfora, que escutei em uma de minha aulas: um dia um jovem que tanto queria ser líder e alçar o sucesso, ganha a tão sonhada promoção é se torna o novo Gerente de marketing da empresa Z. Logo vem um turbilhão de pensamentos…Vou pode trocar de carro, comprar aquele smartphone, posso pedir minha namorada em casamento, pensou ele, entre tantas coisas que continuara a pensar. Um dado momento, bateu um medo! E se não se tornar um bom líder? Se não conseguir um bom desempenho? Depois dessas dúvidas, decidiu procurar um Mestre Zen, que com toda sua sabedoria poderia lhe ajudar nessa angústia.Depois de vestir seu melhor terno, se encaminhou para o lugar onde o Mestre se encontrava.

Esvazie sua xícara!
Esvazie sua xícara!

Lá chegando, o Mestre pediu pra ele entrar… Ele afoito já foi logo dizendo para o Mestre que deseja saber como ser um bom Líder. O mestre sem nada responder, começou a colocar chá em uma xícara. Logo a xícara começou a transbordar, e ele continuava a colocar chá… Até que o jovem disse: Mestre! A xícara está transbordando!

O Mestre lhe respondeu: -Assim como você! Se você quiser ser um bom líder, você deve estar vazio e não transbordando!

Reflitam nessa mensagem, e até a próxima!