A raiz da pobreza

Joseph Stiglitz, ganhador do prêmio Nobel de Economia em 2001, diz que a raiz da pobreza está em como as pessoas aprendem a aprender.

No vídeo abaixo, falo de como isso acontece.

Anúncios

O que fazer para aproveitar as oportunidades de negócio

O que você pode fazer para aproveitar melhor as oportunidades de negócio? Pergunta bem capciosa.

A resposta inicial é, enxergá-las. Manter a mente aguçada para poder enxergar é um treino que exige disciplina e entender que uma mente voltada para questionamentos é mais importante do que ter as respostas prontas para tudo, é essencial.

Para exemplificar melhor, segue um caso real.

Mais de uma década atrás, um estudante da universidade de Harvard convidou cinco pessoas para uma discussão de oportunidade de negócios.

Somente duas dessas cinco pessoas apareceram. Essas pessoas eram: Dunstin Moskovitz (que tem um fortuna decorrente dessa ideia avaliada em U$$9.9 Bi) e Eduardo Saverin (U$$5.8 Bi) e o estudante que os convidou, é óbvio, foi Mark Zuckberg, que tem um fortuna estimada em U$$35.7 Bi.

markzuckerberg2007-e1400081922221
Fonte: Forbes

 

Eu imagino como essas três pessoas que resolveram não participar, se arrependem daquela fatídica noite. Não deve ser pouco.

Pense na quantidade de momentos que poderíamos ter tido um insight de transformar uma conversa ou a resolução de um problema em um potencial negócio e a deixamos passar.

Lição aprendida: Não há nada mais caro do que uma mente fechada. Se você quer algo que você nunca teve, faça algo que você nunca fez.

Você tem controle sobre o seu desenvolvimento?

Sabe aquele frase “diga com quem anda, que direi quem és?”

Estudos comprovam – seus pais e seus avós já sabiam disso – que ela é verdadeira.

Não sei se essa frase deu origem a um estudo científico ou foi através do estudo científico que essa frase surgiu. Mas, o que posso afirmar com certeza, é que dessa vez, o pensamento empírico e o científico estão de acordo.

No vídeo abaixo, se vê claramente como nosso cérebro anseia por ser aceito em um determinado grupo, partindo para a imitação de comportamento, pura e simplesmente.

 

 

E isso, é a vida real. Fazemos isso o tempo todo.

Se você quer ser empreendedor? Começa a frequentar grupos que tenham empreendedores. Quer tirar notas melhores? Idem.

Você tem realmente um controle sobre o seu desenvolvimento? Total. Mas, é necessário reflexão.

Agora, basta entender o seu grupo social de referência e entender se esse “conformismo social” no qual você está inserido está te fazendo uma pessoa melhor – 360 graus – ou não. Com o perdão, caro leitor, mas encerrarei o post, com mais uma frase tirada da sabedoria popular: “quem quer ser águia, não anda com galinha”.

[Review] De Zero a Um

Sou muito fã de makers. Pessoas que fazem, tem muito mais chance de ensinar algo – mesmo que seja um erro – do que os teóricos, principalmente em setores como negócios-administração-empreendedorismo. Sempre tive essa opinião, mas, depois que li o “Cisne negro”, do Nassim Taleb, tive ainda mais convicção de que estava certo, já que ele é um fã ardoroso do empirismo.

12472555_10205807002517268_6027239643516012668_n.jpg

O livro de hoje, De Zero a Um, tem muito disso: um maker, comentando alguma ideias necessários para a perenidade para os negócios nascidos hoje. O livro, por ser escrito por alguém que vive o mundo de startup, é mais voltado para startups, mas, óbvio que podemos pegar a ideia e adaptar para qualquer outro business.

Peter Thiel, é o Co founder do PayPal (se você não conhece essa empresa, sinto de informar que você está desatualizado) e o autor do livro. Hoje, entre outras coisas, ele tem uma empresa de investimento e a Palantir – que trabalha basicamente com big data.

Ele dividiu o livro em capítulos, e não pense que por ser um livro pequeno – aproximadamente, 200 páginas – as ideias são rasas, muito pelo contrário, cada capítulo é uma análise profunda, que as vezes mexem com conceitos até então arraigados dentro de nós.

Considero essencial e quero destacar nesse texto, duas ideias.

A primeiro, é a que dá título ao texto: de 0 a 1. Ir de zero a um, significa você criar algo totalmente novo, desenvolver uma ideia ou conceito e monetizar ela. Exemplo, o próprio PayPal. Ir de 1 a n (qualquer outro número) significa pegar uma ideia, copiá-la e replicar.

A segunda, é a sua visão própria de “concorrência monopolística” e “concorrência perfeita”. Segundo ele, concorrência perfeita é quando você quer montar uma empresa, por exemplo, uma padaria. Você copia um modelo de um padaria existente e faz mudanças pontuais. O problema é que o seu negócios é muito parecido com outros, então, vai resultar em uma guerra de preço: a empresa que vende em um preço menor, vende e a outra, deixa de vender. O problema disso que é que acaba com a lucratividade e consequentemente, com as empresas envolvidas. A solução é criar uma concorrência monopolística, ou seja, pensar em uma ideia totalmente nova e por em prática, essa ideia nova irá trazer um diferencial competitivo muito grande e uma lucratividade idem. Com a lucratividade, investir em pesquisa e inovação para pensar em novas ideias e sempre surfar a onda criada por você.

Zero a um.png
Mapa mental do livro todo: faça o donwload e amplia para ler 😉

Essas duas ideia são um manifesto que devemos levar a mais e mais pessoas. Sei que não é fácil ter uma ideia que te faça viver em um oceano azul, mas a partir do momento que você sabe a importância disso + mais o trabalho sendo executando = em algum momento o insight surge e a ideia aparece.

Por mais empresas de zero a um!

[REVIEW] Geração de Valor

“Desde que nascem, as pessoas são treinadas para agir de acordo com o senso comum. O ensino convencional as estimula a buscar segurança e não liberdade. Com medo de se arriscar, a maioria segue o fluxo da boiada e sonha pequeno, optando por conseguir um emprego estável e passar anos financiando a casa própria”, esse pequeno extrato do livro, escrito pelo próprio autor, mostra bem a essencial do livro.

download

Ficou desde o seu lançamento, até hoje (28 de novembro de 2015), na lista dos livros mais vendidos do ano.

Também pudera, seu autor Flávio Augusto, é um empreendedor muito popular nas redes sociais, destaco a sua página no Facebook, onde ele compartilha aprendizados e como conseguiu ascender como um dos maiores empresários do Brasil, somente com muito suor, coragem e visão estratégica. Se você não curte sua página no Facebook, faça isso agora, existem raríssimas pessoas que se dispõem a fazer o que ele faz, de graça.

Não espere um livro padrão, nesse livro, temos muitas charges e figuras, fotos e a escrita dele é não linear. São textos separados, que podem ser lidos em qualquer ordem, sem afetar a compreensão. Talvez, esse formato, seja para amenizar a conteúdo do texto, que muitas vezes, são aquelas “broncas” que temos que levar para reagirmos! São essas “broncas” que precisamos escutar de vez quando, para acordarmos e não desviarmos de nossa rota ou até mesmo, começar uma nova.

Assim como eu, Flávio Augusto, é um profundo incentivador do empreendedorismo. Abrir empresas, por mais que seja difícil, é fugir do padrão que estamos acostumados a ouvir ser pregado aos quatro ventos: faça concurso, tenha estabilidade, arrume um emprego etc etc, além de ser uma maneira de criar e acelerar inovações, desenvolver uma cidade-estado-país, te dá um maior controle nos seu dia-a-dia, te possibilita maior chance de conseguir mais dinheiro e ainda contribuir com a geração de empregos.

Considero esse livro uma leitura obrigatória para todos que estão naquela fase de vida/profissional em que estão sem motivação para agir, realizando tudo de forma mecânica, é uma ode ao não-vitimismo e uma injeção de ânimo! Assim como qualquer remédio, tem efeitos colaterais, você pode achar ruim e não querer mais terminar a leitura, o importante, é que você fique com o vírus da inconformação e de um chute na acomodação!

10 maneiras de manter a calma e tomar melhores decisões

Disponível em: http://livingajoyfullifenow.com/
Disponível em: http://livingajoyfullifenow.com/

Manter a compostura é algo que te nos ajuda o tempo inteiro. Empreendedores de sucesso sabem que manter a calma ajuda a navegar através de um mar de desafios de forma mais rápida e fácil. Conseguir isso é uma arte, manter a cabeça fria enquanto acontece coisas fora do nosso controle, não é fácil, por isso dizemos que é arte: com treino e atitudes corretas, qualquer um pode fazer isso.

Aqui vão 10 grandes técnicas e meios de conseguir manter a calma.

1 – Respirar profundamente

Nosso cérebro precisa ser constantemente abastecido por oxigênio, quando respiramos profundamente, nosso cérebro com a grande quantidade de oxigênio, reparte com nosso sistema circulatório. Onde o oxigênio vai, o fluxo de sangue o segue. Por isso que vemos em muitos filmes, pessoas respirando em sacos de papel para manter a calma!

Quando nosso sistema circulatório funciona bem – por causa do oxigênio extra – nosso cérebro começa a funcionar por inteiro, criando mais conexões entre os neurônios; quanto mais conexões, melhores serão nossas decisões ou ao menos teremos mais opções de escolha.

Respirar profundamente irá nos ajudar mentalmente e fisicamente, ficaremos mais calmos e mais racionais.

2 – Se concentrar no resultado

Uma das piores coisas que podemos fazer em uma situação que estamos perdendo a calma, é reagir impulsivamente – leia se “emocionalmente”. Sim, muitas pessoas não seguem esse conselho. Empreendedores de sucesso sabem que reagir numa situação tensa, com certeza nos fará a nos arrepender da decisão tomada e segundo, ou palavra falada.

Antes de responder ou se deixar levar pela emoção, pense a longo prazo, isso nos permitirá tomar uma decisão com uma perspectiva diferente.

3 – Se exercitar

Exercícios físicos é um grande aliada ao combate do stress, ansiedade e até mesmo, raiva. Todas essas três palavras, são comuns para empreendedores em tempos de crises e situações difíceis. Por isso, quem faz alguma tipo de atividade física, consegue manter a calma com mais facilidade.

Se você precisa tomar alguma grande decisão ou retornar um telefonema importante, tenta fazer uma pequena caminhada antes. Sempre que possível intercale decisões com exercícios físicos. A endorfina irá ajustar e balancear seu organismo, colocando no lugar emoções e decisões..

4 – Meditar

É comprovado cientificamente que quem medita, consegue se curar mais rápido de qualquer doença, além de conseguir ser mais racional e acertado em suas decisões. Não é fácil meditar, principalmente para quem é acostumado a pensar o tempo inteiro, e nunca acalmar a mente.

Meditar, é conseguir não pensar em nada, pode ser por minutos ou até por horas. Fazer disso um hábito, pode nos ajudar a conseguir acalmar a mente e buscar a razão, quando ela parecer perdida.

5 – Ouvir

Ficar calmo, e simplesmente para de falar para ouvir as pessoas e seus pontos de vistas. Quando cedemos espaço para o outro poder falar e se expressar, e ouvirmos o que o outro dizer, ficamos calma de uma maneira diferente. Muitas pessoas falam, falam e não param para ouvir o que o outro tem a dizer.

Ouvir é uma habilidade que precisa ser cultivada e pode resolver situações difíceis.

6 – Praticar a empatia  

Empatia significa mais do que ouvir, ela permite que nós nos coloquemos no lugar do outro. Alguns confundem empatia com simpatia, mas a primeira é muito maior do que a segunda.

Se colocar no lugar do outro, tentar entender seus motivos e razões, nos ajudar a criarmos argumentos para convencer ou até mesmo, entender e concordar. Praticar a empatia, diminui tensões desnecessárias.

7 – Defender suas ideias

Ser calmo, não significa ser passivo. Ideias boas, que trarão crescimentos, merecem ser defendidas.

Entender sua verdadeira motivação e pensar em como isso irá ajudar o grupo, pode te ajudar a defender essa ideia.

8 – Saber seu valor

Quando sabemos o nosso valor – ou de nossa ideia – levamos o problema menos para o lado pessoa.

Temos que reconhecer os obstáculos como problemas temporários e tomar as decisões de forma fria, pensando no resultado.

9 – Esquecer facilmente

Para sermos bem sucedidos, precisamos saber que todo mundo perde o controle, vez ou outra. Mas, devemos relevar, deixando isso no plano profissional, pensar da seguinte maneira pode ajudar: nós temos o conhecimento desse texto, o outro pode não saber.

Esquecer facilmente, quer dizer, perdoar e não manter ressentimento.

10 – Focar no objetivo

Focar no objetivo sempre é um bom mantra. Isso nos ajudará a ver problemas como acidentes leves de percurso, natural em qualquer caminho. Quando criamos o hábito de fazer isso, vemos desafios como oportunidades, e conseguiremos mandar a calma durante toda a caminhada.