Ano novo, velhos desejos.

20131228-005624.jpg

Final de ano, tem uma coisa em comum a grande parcela das pessoas: todos prometem e criam metas incríveis para o próximo ano. Uns prometem ir na igreja todo o dia, outro dizem que vão ler 12 livros por ano, alguns preferem prometer a economia de dinheiro e finalmente, alguns querem perder peso.

Com toda certeza “guardar dinheiro” e emagrecer são os campeões dessas listas!

O acúmulo de dinheiro e o emagrecimento, tem que se comportarem de maneira inversa: quanto mais calorias eu ganhar, mais energia eu tenho que queimar… E quanto mais eu gastar, mais dinheiro tem que entrar, para que haja acúmulo!
Nos dois casos, são questões óbvias… Mas, difíceis de serem executadas.

Mesmo sabendo a resposta, não colocamos em prática essas ações porque falta uma simples palavrinha: atitude! Chega de começar um ano novo, com desejos velhos.

Para que você não fique só em metas, 😄 siga nossas dicas para a transformação de seus objetivos em um hábito positivo (baseado no livro “O poder do hábito”):

Defina claramente suas metas(1);
Estabeleça uma rotina(2);
Crie uma sensação de recompensa(3)

Por exemplo, se o seu desejo é poupar dinheiro, e você não souber o quanto poupar, ficará difícil colocar em prática.
Então, para transformar esse desejo em hábito, coloque: “economizar 10% do meu salário mensal” (1), Totalmente mensurável e definido!
“Todo entrada de dinheiro, devo separar primeiro os 10%”(2), fazendo isso, você estará colocando a rotina, ou seja, em que momento vou colocar em prática esse desejo?
Seguindo os dois primeiros itens, você chegará na recompensa (3), que nesse caso será você ver o seu dinheiro se multiplicando!

Seguindo esses passos você estará transformando uma vontade/desejo em uma realidade. No exemplo acima, foi usado o desejo de economizar, mas esses passos servem para qualquer coisa que você queira transformar em um hábito.

Tenha em atitude de mudança no próximo ano! Faça a sua lista, mas cumpra-a. Não fique feliz em chegar no final do ano e só trocar o ano, mantendo os mesmos desejos!
Mão-na-massa! Mudar seus hábitos e atingir suas metas só depende de você!

Anúncios

Entrevista de emprego

Monty Python, com o ácido humor britânico, nos brindou com várias esquetes hilárias! Para começar a semana animada, esse vídeo nos mostra uma criatividade aflorada na hora de contratar um funcionário.

Qualquer semelhança, não é mera coincidência. Nos tempos atuais, com a informação acessível a todos, algumas empresas com medo de caírem nas perguntas clichês, abusam da criatividade na hora de selecionar os melhores para a vaga.

Pode ser que quando você estiver em uma dessas seleções, surja uma dúvida: é uma entrevista ou uma “pegadinha do Silvio Santos”?

Por via das dúvidas, sorrie e acene para as câmeras…

Frustração ou resiliência: eis a questão

Em meus treinamentos conheço pessoas de todo tipo: pessoas ávidas por aprendizado, aqueles que gostam de participar, uns mais tímidos, alguns empreendedores iniciantes, empreendedores avançados, aventureiros, de vez em quando pessoas marcadas por experiências negativas, e essas se dividem naquelas que superaram e naquelas que são frustadas.

1006012_516943061719149_151638488_n
Esse que vos fala, falando

Quanto mais encontro pessoas diferentes, maior o aprendizado. A melhor parte desses treinamentos é essa diversidade de pessoas na hora que estou compartilhando o meu conhecimento, quando todas os tipos de pessoas citadas acima participam, há um enriquecimento no final da ideia, que traz um resultado positivo para ambos os lados: treinador e treinados.

No treinamento(ou a aula), se tem o aluno com frustrações evidentes, ele acha que não haverá uma troca de experiência satisfatória e as contribuições passam a soar como ataques. Então, procuro filtrar esses ataques e transformá-los em algo bom para todos e que traga aprendizado e gere conhecimento.

Muitas vezes, queremos ter um resultado, porém não planejamos ou agimos da maneira adequada, se essas etapas não são cumpridas, o resultado esperado não é alcançado. Aí, você tem a opção de se lamentar, guardando esse acontecimento na sua memória emocional e ter um bloqueio em toda decisão parecidas ou… ter resiliência, chamar a responsabilidade para si, e não culpar o outro.

Nível ideal de resililência
Nível ideal de resiliência

Alguns estudiosos propuseram que se pode considerar a resiliência como uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Como empreendedores que querem resultados positivos, devemos tê-la como uma qualidade inerente. Isso fará com que algum resultado não alcançado se transforme em aprendizado e não em frustração.

Uns nascem com uma tendência maior de ser resiliente, e outros com menos. Sabendo a importância. a parte que nos cabe e treinar para que ela, cada vez mais se manifeste. Assim como, qualquer esportista treina para conseguir ganhar um torneio, devemos treinar para alcançar resultados melhores, como pessoas e como profissionais. Pense nisso, tire suas conclusões: frustração ou resiliência: eis a questão! 😉