Como o estresse no trabalho pode estar matando você (…ou pelo menos sua criatividade)

Seja honesto com você mesmo – Você já teve um dia estressante no trabalho, chegou em casa e pensou: “UAU! ESSE DIA FOI ÓTIMO!”
Provavelmente não, e com boas razões. Pesquisas e mais pesquisas, tem mostrado os estragos que o estresse faz na sua saúde. Com o nosso dia-a-dia cada vez mais rápido, com as mudanças constantes em qualquer mercado, o estresse parece ser inevitável. Infelizmente, ele causa custos significativos, nos trabalhadores e nos trabalhos.

images (1)

EFEITOS NOS TRABALHADORES

Estresse faz muito mal para o corpo humano. Uma Clínica Médica americana especializada em estresse, chamada The Mayo Clinici, disse que a reação que acontece em nosso corpo em uma situação de estresse, é a mesma desenvolvida quando uma caça está se protegendo de um caçador.  E quando mais for o período que o seu corpo ficar nessa situação, mais riscos de desenvolver problemas sérias a saúde terá. Esse “problemas sérios”incluem ataques cardíacos e problemas de memórias. Se isso não for ruim o suficiente, um recente estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA, encontrou o seguinte resultado, pessoas que vivem sob uma situação de stress, 4 horas por semana(ou mais) aumenta a chance de doenças mentais. Já na Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriram que se estressar no trabalho tem um grande impacto sobre os níveis de saúde, os funcionários que sofrem mais estresse tem 70% mais chance de desenvolver problemas cardíacos, do que os seus colegas de trabalho sem estresse.

OS efeitos do estresse além de afetar a saúde física e mental, também afetam o convívio com a família. Empresários e pessoas com cargos de alta gerência, tendem a sofrer mais, já que passam mais tempo no local de trabalho do que na própria casa, eles começam a ter uma dificuldade em conciliar a família e o trabalho – o que ocasiona uma situação de estresse. Muitas vezes, pensando a curto prazo, preferem a segunda opção. O grande problema são as doenças em que essas pessoas estão sujeitas, já que estão no grupo de risco. E como ninguém em seu leito de morte desejou “ter trabalhado mais”, nota-se a importância de não sacrificar as horas com seus entes queridos. É importante que esse hora, seja um momento de relaxar e recarregar as energias para enfrentar o próximo dia, com o mínimo de estresse.

EFEITOS NOS NEGÓCIOS

Obviamente, as equipes são compostas de pessoas, e qualquer mudança individual, é sentida pelo grupo.  O estresse também tem efeitos únicos no local de trabalho, onde em qualquer setor, é exigido um mínimo de criatividade e novas idéias para resolver problemas, porém, níveis contínuos de estresse tendem a sufocar a criatividade dos funcionários, o que faz sentido. Afinal, se você sente que está constantemente correndo para apagar incêndios, quando você tem tempo para a criatividade?

O estresse tende a ter um efeito cumulativo – a produtividade cai, porque os trabalhadores têm cada vez menos tempo para resolver problemas e situações. Os trabalhadores com estresse, precisam do dobro de tempo de um trabalhador feliz, para se tornar produtivo. Custo para a empresa, que fica cada vez menos produtiva e ainda corre o risco de ter que arcar com as despesas de um funcionários que sofreu um ataque cardíaco na empresa. Não é à toa que a Organização Mundial de Saúde diz que o estresse é a epidemia de saúde do século 21 – uma epidemia custando as empresas 300.000 milhões dólares por ano, somente nos  EUA.

A IMPORTÂNCIA DA PAUSA

As pessoas simplesmente não podem funcionar como robôs. Até mesmo as máquinas tendem a quebrar quando colocadas sob estresse constante (e crescente). Trabalhadores precisam de um tempo de inatividade para permanecer produtivos e felizes. Essa inatividade podem ser férias ou apenas um passeio de meio-dia para limpar a cabeça.

Claro, todos nós gostaríamos de evitar situações estressantes. Mas não importa o quanto nós tentamos, nós nunca conseguiremos nos livrar completamente do stress no trabalho. Portanto, temos de  enfrentar isso e ver como podemos diminui-lo, dica: você vai encontrar maneiras de mitigar o estresse, em suas horas livres.

Have a Break! 😉

Adaptado de How Stress at Work Might Be Killing You (Or at Least Your Productivity

Anúncios

Como anda seu Q.E ?

Em outras épocas, a única coisa que importava ao profissional, era aumentar seu Q.I(Quociente intelectual), nos dias atuais, isso não é suficiente. É preciso também, ter um Q.E(quociente emocional) tão ou mais desenvolvido que o Q.I.

Mas, afinal o que é o Quociente emocional?

Daniel Goleman, autoridade quando se pensa em Inteligência emocional.
Daniel Goleman, autoridade quando se pensa em Inteligência emocional.

Quociente emocional ou Inteligência Emocional é um conjunto específico de aptidões utilizadas no conhecimento e processamento das informações relacionadas à emoção. O termo “Inteligência Emocional” foi cria do norte-americano Daniel Goleman. Surgiu na década de 90 e significa a capacidade de sentir, entender, controlar e modificar o estado emocional próprio ou de outra pessoa de forma organizada.

Podemos dizer que possuímos duas mentes, consequentemente, dois tipos diferentes de inteligência: racional e emocional. Nossa performance na vida é determinada não apenas pelo QI (Quociente de Inteligência), mas principalmente pela Inteligência Emocional. Na verdade, o intelecto não pode dar o melhor de si sem a Inteligência Emocional, ambos são parceiros integrais na vida mental. Quando esses parceiros interagem bem, a Inteligência Emocional aumenta e também a capacidade intelectual. Isso derruba o mito de que devemos sobrepor a razão à emoção, mas ao contrário, devemos buscar um equilíbrio entre ambas.

Baixo Q.E: é fácil notar quem tem!
Baixo Q.E: é fácil notar quem tem!

Infelizmente, a formação acadêmica não oferece praticamente nenhum preparo para as adversidades ou oportunidades que a vida impõe, principalmente nos dias atuais, de alta competitividade, com o estresse acompanhando os profissionais desde o inicio da carreira. Um alto QI não é mais garantia de prosperidade, prestígio ou felicidade, é ainda, nossas escolas e cultura concentram-se na capacidade acadêmica, deixando de lado o desenvolvimento da Inteligência Emocional. A boa noticia é que as emoções são um campo com o qual podemos lidar,  da mesma forma como matemática ou estatística.

No trabalho, podemos usar a inteligência emocional, quando fazemos o uso racional de nossas emoções, em outras palavras, fazer com que suas emoções trabalhem a seu favor, de maneira a ditar um comportamento e bom raciocínio, de maneira que seus resultados sejam sempre positivos. Como qualquer aptidão, esse também pode ser adquirida, é claro que existem pessoas que praticamente já nascem sabendo usá-la, outras nem tanto, se você se enquadra no segundo grupo, saiba que com treino, você pode ter um aumento significativo dessa inteligência.

Comece hoje mesmo a treiná-la! Com um bom Q.E, você terá resultados positivos em negociações diversas, seu pensamento será mais fluído, além do seu estresse, que será diminuído. Não é fácil, sabemos, mas… é necessário! então, mãos-a-obra!

Você já teve algum problema por causa do não uso da inteligência emocional? quer contribuir para a discussão? deixe seu comentário.

Empreendedor: “enverga mais não quebra”

Resiliência ou resilência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. (Fonte: Wikipédia)

Resiliência á prova!
Resiliência á prova!

Um exemplo é uma vara de salto em altura, que verga-se até um certo limite sem se quebrar e depois retorna à forma original dissipando a energia acumulada e lançando o atleta para o alto.

Portanto, resiliência é a capacidade de um material voltar ao seu estado normal depois de ter sofrido tensão.

Além da física, está é uma palavra muito utilizada no mundo dos negócios. Característica muito solicitada e de extrema importância para os profissionais que almejam o sucesso.

Quando o termo empreendedor é utilizado neste Blog, é para definir profissionais que pensam fora da caixinha, profissionais inquietos e que sempre buscam novos desafios são estes os que mais precisam de resiliência.

Quanto mais desafio são procurados e assumidos… Mais tensão esses profissional sofrerão. Seja em falta de recursos financeiros, humanos, falta de ética de outros, erros, prazos…

O empreendedor precisa absorver essa tensão, acumular esta energia para apreender, dar um salto, ou seja, passar a fase, sem grandes perdas e o mais importante: continuando no caminho previamente traçado.

Caso você não tenha essa característica, adquira! É isso é possível através de treino e autoconhecimento… Palavra também muito importante, mas isto fica para outro post!