O que fazer para aproveitar as oportunidades de negócio

O que você pode fazer para aproveitar melhor as oportunidades de negócio? Pergunta bem capciosa.

A resposta inicial é, enxergá-las. Manter a mente aguçada para poder enxergar é um treino que exige disciplina e entender que uma mente voltada para questionamentos é mais importante do que ter as respostas prontas para tudo, é essencial.

Para exemplificar melhor, segue um caso real.

Mais de uma década atrás, um estudante da universidade de Harvard convidou cinco pessoas para uma discussão de oportunidade de negócios.

Somente duas dessas cinco pessoas apareceram. Essas pessoas eram: Dunstin Moskovitz (que tem um fortuna decorrente dessa ideia avaliada em U$$9.9 Bi) e Eduardo Saverin (U$$5.8 Bi) e o estudante que os convidou, é óbvio, foi Mark Zuckberg, que tem um fortuna estimada em U$$35.7 Bi.

markzuckerberg2007-e1400081922221
Fonte: Forbes

 

Eu imagino como essas três pessoas que resolveram não participar, se arrependem daquela fatídica noite. Não deve ser pouco.

Pense na quantidade de momentos que poderíamos ter tido um insight de transformar uma conversa ou a resolução de um problema em um potencial negócio e a deixamos passar.

Lição aprendida: Não há nada mais caro do que uma mente fechada. Se você quer algo que você nunca teve, faça algo que você nunca fez.

Anúncios

Elon Musk: Porque ele sonha tão grande e o que podemos aprender

Quase todos os meios de comunicação falaram sobre a criação e o lançamento do Hyperloop(um transporte tubular para pessoas, algo como uma comboio supersônico), pelo Elon Musk, o Tony Stark, em carne, osso e imaginação.

 

Tony, digo, Elon Musk em seu modelo Tesla.
Tony, digo, Elon Musk em seu modelo Tesla.

É um idéia excitante: viajar pelas maiores cidades dos EUA, na velocidade do som, a preço de viagem de avião.

 

Hyperloop: o começo do fim das distâncias
Hyperloop: o começo do fim das distâncias

Esta não é a primeira idéia surpreendente do Sul Africano, Elon  Musk. Na graduação, ele criou o sistema de pagamento online PayPall, com a venda dessa empresa, ele criou a Tesla, uma fábrica de carros elétricos, uma companhia de ônibus espaciais, chamada Space X, essas são só as principais e mais conhecidas obras dele.

Junto com Steve jobs, Richard Branson e Bill Gates, Musk faz parte de um grupo de criadores modernos, que pensam de uma forma unicamente genuína, com idéias aplicáveis no mundo real, e que com certeza, trazem um enorme impacto positivos em nossas vidas.

Pesquisando a vida de Musk, pode ser tiradas algumas conclusões de porque ele sonha (e realiza) tão grande! Aqui vão algumas delas:

  • Ele é um leitor voraz – Sua mãe diz que quando criança, toda vez que eles iam passear, ele sempre sumia… e ela sempre encontrava ele em uma livraria. Ele sempre preferiu a leitura, do que jogos(seja qual forem). Hoje, ele possui uma vasta biblioteca, onde encontra-se livros de todos os assuntos possíveis: decoração, economia, engenharia, administração, espaço, design, fotografia… enfim, parece que seu apetite por livros, realmente faz bem!
  • Ele tem capital para isso – A criatividade pode aflorar de qualquer jeito, mas, existem duas maneiras que colabora: se você for muito pobre(você vai ser forçado a criar coisas para melhorar sua vida) ou se você for muito rico(você terá muito dinheiro para gastar com suas idéias fantásticas). Elon Musk, tem muito dinheiro! Com a venda do PayPall, todo o dinheiro que ele possui, ele investe em seus novos projetos! Ele não precisa de permissão para realizar testes, e nem tem que passar por comitês para ver se sua idéia será aprovada e qual o orçamento. “Eu não estou tentando fazer uma tonelada de dinheiro com isso, mas eu gostaria de vê-lo se concretizar “, disse ele ontem sobre o Hyperloop. “Eu acho que pode ajudar se eu construí um modelo.”
  • Ele tem uma perspectiva global – Nascido na África do Sul, Musk trabalhou em uma fazenda no Canadá antes de frequentar a universidade da Pensilvânia e Califórnia. Ele viaja extensivamente para trabalho e lazer (ilhas, viagens por estrada, etc), o que o coloca em contato com pessoas de diferentes origens, pessoas com diferentes perspectivas e valores na vida. Confrontando e explorar novas pessoas, lugares, idéias, estimula o pensamento novo.
  • Ele tem filhos – Ouvimos várias vezes que quando as pessoas têm filhos toda a sua perspectiva sobre a sustentabilidade e qualidade de vida muda. Musk tem cinco filhos de seu primeiro casamento com Justine Musk. Razão pela qual os seres humanos devem se mover para colonizar Marte, é a preocupação com o futuro. “As crianças são incríveis”, ele sempre diz.
  • Ele estuda história – No pronunciamento sobre o Hyperloop, ele usou em sua discurso fala de Nicola Tesla; Catarina, a Grande; e Henry Fielding. Aqueles que conhecem o passado, tem o poder de mudar o futuro.
  • Ele é “ligado” na cultura pop – Musk não é um cérebro rico mimado longe da realidade. O cara ouve a todos, de Adele a Robbie Williams. Ele gosta de filmes. Ele vai para os clubes (onde ele conheceu sua segunda esposa, a atriz britânica Talulah Riley). Ele joga videogames. Trata-se de uma boa diversão – saídas para relaxamento e potenciais fontes de inspiração (a sua ideia para o Hyperloop veio sentado no trânsito enlouquecedor , por exemplo).
  • Ele é um gênio – Um sinal de inteligência é uma mente capaz de comunicar idéias complexas em termos simples. Para ser capaz de descrever, por exemplo, a tecnologia e a física por trás de um trem em tubo que viaja na velocidade do som em um relatório de 57 páginas que o leitor (leigo nessa área)pode facilmente digerir e (melhor ainda) achar interessante. Ah, e ele é o único cidadão privado na história do homem a enviar com sucesso um foguete e fazer ele retornar, intacto. Não é pouca coisa.

(Adaptado de: Elon Musk’s Hyperloop: Why He Dreams So Big, disponivel em http://www.forbes.com/sites/hannahelliott/2013/08/13/elon-musks-hyperloop-why-he-dreams-so-big/)

Toques para a geração Y chegar ao sucesso

Esse texto foi escrito para quem é da geração Y ou geração Millenium: aqueles que estão na faixa etária: 20 e poucos…

Publicado na Forbes, escrito por Jason Nazar(CEO da Docstoc, google aí para saber o que é). São dicas escritas por alguém que já passou dessa fase, e hoje, tem sucesso, ele consegue ter um olhar holístico sobre os erros que poderia ter evitado… e que nós, que ainda não passamos dessa fase podemos evitar para ter uma vida de sucesso! O mais interessante é que existe muitas dessas dicas(quiça todas!) que qualquer empreendedor pode seguir, em qualquer idade: e só tende a ganhar!

Originalmente eram 20 dicas, porém, escolhi a que melhor se adaptam a nossa realidade! Esse texto é realmente, um mapa do sucesso! Espero que seja o seu.

 

 

20 coisas que devemos fazer ou não com 20(e tantos!)anos
20 coisas que devemos fazer ou não com 20(e tantos!)anos

1 – Tempo não é uma commodity ilimitada! – Raramente encontramos jovens profissionais que têm um senso de urgência para chegar ao próximo nível. Em nossos 20 anos pensamos que temos todo o tempo do mundo para A) descobrir e B) conseguir o que queremos. O tempo é o único tesouro que começa em abundância, e nunca pode retroceder. Aproveite ao máximo as oportunidades que você tem hoje, porque vai haver um momento em que você não tem mais do mesmo.

2 – Você é talentoso, mas isso não é o suficiente – Você pode ser da geração mais capaz, criativo, experiente e multi-tasking. Porém, matérias-primas não refinadas (não importa o quão valioso) são simplesmente potencial desperdiçado. Não há prêmio para o talento, apenas para o resultados.

3 – Social media não é uma carreira – Esses cargos não vai existir em 5 anos. A mídia social é simplesmente uma função do marketing. A mídia social é um meio para obter mais consciência, consistência, mais usuários e mais receita. Não é um fim em si mesmo. Nazar adverte fortemente contra atrelar sua trajetória de carreira apenas para um cargo de mídia social.

4 – Pegue o telefone ou encare a pessoa nos olhos – Pare de se esconder atrás de seu computador. O negócio é feito por telefone e pessoalmente. Deve ser o seu primeiro instinto, não o último, falar com uma pessoa real traz mais confiança, e negócios começaram a ser feitos.

5 – Seja o primeiro a chegar e o último a sair – Nazar dá este conselho a todos que vão iniciar um novo trabalho ou estão em fase de formação de sua carreira profissional. Você tem mais terreno para compensar do que todos os outros ao seu redor, e você tem algo a provar. Há apenas uma maneira infalível para chegar à frente, e isso é: trabalhar mais do que todos os seus colegas.

6 – Não espere que lhe digam o que fazer – Dizendo “ninguém me pediu para fazer isso” é uma receita garantida para o fracasso. Errar fazendo mais é muito melhor do que fazendo menos.

7 – Assuma seus erro – Você deve talvez cometa muitos erros no início da carreira. Mas você não deve ficar na defensiva sobre erros de julgamento ou execução. Pare de tentar justificar seus erros. Você só vai crescer, abraçando as lições aprendidas com os seus erros, e comprometendo-se a aprender com essas experiências.

Ter um "diabo vestindo prada" como chefe, tem o seu lado bom!
Ter um “diabo vestindo prada” como chefe, tem o seu lado bom!

8 – Você tem que ter um chefe que te tire do sério! – Meryl Streep em “O Diabo Veste Prada” seria o chefe mais valioso que você poderia ter. Esta é a fase mais impressionável, maleável e formativa de sua carreira profissional. Trabalhar para alguém que exige excelência e empurre seus limites a cada dia, vai te deixar com a base mais sólida para o seu sucesso profissional.

9 – Um novo trabalho por ano, não é uma boa coisa – Não me diga que você é tão talentoso que superou sua empresa. Você deve ter a disciplina para ver a sua própria curva de aprendizado até a sua conclusão. Demora cerca de 2-3 anos para dominar qualquer nova habilidade crítica.

10 – Tenha a sua definição de sucesso – Você vai ser convidado a fazer coisas que você não gosta de fazer. Mantenha seu olho no prêmio. Conecte o que você está fazendo hoje, com o lugar onde você quer estar amanhã. Isso deve ser todo o incentivo que você precisa.

11 – Fale para a fonte e não da fonte –  Estamos criando uma geração de pessoas que não conseguem falar de um problema, diretamente para quem está causando o problema. Em seu local de trabalho isto é um câncer. Se você tiver problemas com a administração, a cultura ou o seu papel e responsabilidades, FALE para os envolvidos!. Não tome essas queixas e fale da empresa ou colegas de trabalho em intervalos de almoço e placas de bate-papo anônimos. Se você pode efetivamente comunicar o que precisa ser melhorado, você tem a capacidade de moldar seu ambiente e seu destino profissional.

Que curso, que nada! aprenda na prática!
Que curso, que nada! aprenda na prática!

12 – Tenha seu conhecimento em tecnologia aumentando por você mesmo – Adicionando “conhecimento avançado em Microsoft Office” no seu currículos, não impressiona mais. As empresas começam a dar preferências a candidatos que são ninjas em: Photoshop, HTML / CSS, iOS, WordPress, Adwords, MySQL, Balsamiq, Excel avançado, Final Cut Pro – independentemente de seu cargo. Se você pretende ficar em uma atividade assalariada, é melhor complementar suas habilidades.

13 – Você precisa de pelo menos três mentores profissionais – O caminho mais garantido para o sucesso é a imitar aqueles que já conseguiu o que você procura. Você deve sempre ter pelo menos 3 pessoas que você chama de mentores, que estão onde você quer estar. Sua orientação gratuita e conselho será o presente mais precioso que você pode receber.​​

14 – Escolha um ídolo e  faça “como ele faria” – Você pode não saber o que fazer, mas o seu ídolo profissional,sabe. Escolha empresários que você mais admira, e faça “como ele faria”. Se você fosse (preencher o espaço em branco) como é que ele ou ela , tomaria a decisão, organizaria seu dia, alcançaria metas? Você tem que fingir até que você faça isso, então é melhor fingir como a pessoa mais realizada você admira.

15 – Leia mais livros, e tenha menos tweets / textos no facebook – Essa geração consome informação em manchetes e 140 caracteres. Habilidades de criatividade, reflexão e pensamento são liberados quando você é forçado a ler um livro. Todas as chaves para o seu sucesso estão na experiência passada de outros. Certifique-se de ler um livro por mês (ficção ou não-ficção) e sua carreira vai florescer.

16 – Gastar 25% menos do que você ganha – Quando o seu salário precisa atender ou exceder sua renda, você está sabotando a sua capacidade de torná-la realmente grande. Não importa quanto dinheiro você ganha, gaste 25% a menos para sustentar a sua vida. É uma fórmula garantida de ser menos estressado e sempre ter a flexibilidade para perseguir seus sonhos.

17 – Sua reputação é ouro, mantenha-a intacta! – Com o tempo, sua reputação é a moeda mais valiosa que você terá no mundo dos negócios. É a chave invisível que abre ou fecha as portas. Especialmente numa época em que tudo é para sempre gravado e acessível, a sua reputação tem que ser guardado como o tesouro mais sagrado. É o único item que, uma vez perdida, você nunca pode voltar atrás.

Esses toques se seguidos, faram a geração y(ou quem ler e seguir) marcar um gol de sucesso! aliás, um gol, não… fará com que você atinja a vitória no campeonato da vida.

Porque agir confortavelmente com o desconforto é crucial para o sucesso

Em um mundo cada vez mais competitivo, perigoso e acelerado, você tem que assumir riscos, sair da sua zona de conforto, agir no desconforto da incerteza… quem faz isso, certamente, colherá melhores e maiores resultados.

Todo mundo se lembra de quando começou a faculdade, certamente essa é uma época em que saímos, total, de nossa zona de conforto. Se você cursou uma faculdade longe da casa de seus pais, você saiu muito da sua área de conforto, mais do que aqueles que cursaram uma faculdade mais perto. Essa pode ser a primeira, podemos perceber que se não estivéssemos arriscado, entrado para uma faculdade, não estaríamos onde estamos hoje. (Notem que eu peguei o inicio de um curso de graduação como exemplo, mas você, pode substituir isso porque qualquer outro evento que simboliza sua “primeira saída da zona de conforto”).

Quando saímos da zona de conforto, entramos em uma zona de coragem. O fato de você ter entrado nessa nova zona, já te traz novos oportunidades, capacidade de criar e uma influência para novas decisões que envolvem zona de conforto X zona de coragem.

 

Quem não sai da zona de conforto, não conhece sua própria força...
Quem não sai da zona de conforto, não conhece sua própria força…

Margie Warell, uma reporter da Forbes Magazine, fez uma entrevista com vários empreendedores de sucesso, para fazer seu livro “Stop playing safe”, e chegou no denominador comum, ou o ponto em que a fala de todos convergiam: todos os empreendedores de sucesso, forjaram seu próprio caminho, e que no atual mundo em que vivemos, globalização, concorrência acirrada, só alcançaremos nossas metas, chegando ao sucesso, se estivermos dispostos a aceitar a mudança e arriscar o desconforto do fracasso. Resumindo, devemos estar dispostos a se sentir confortável com o desconforto envolvido com a tomada de riscos.

Ao longo de nossas carreiras devemos continuamente avaliar se estamos deixando o nosso medo do fracasso nos impedirde tomar ações, e se engajar nas conversas, que vai nos mover para a frente e trazer o impacto que queremos. Novamente e novamente nós temos que decidir:

  • Eu continuo fazendo o que sempre foi feito, ou crie novas soluções para velhos problemas?
  • Eu proativamente buscar novos desafios ou apenas gerencio aqueles que tenho?
  • Não corro o risco de ser exposto e vulnerável, ou estou agindo para proteger o meu orgulho e pseudo “poder”?
  • Eu pergunto por que eu realmente quero, ou aceito o que outros querem me dar?
  • Eu “dou a cara pra bater” para garantir que os outros saibam o que eu sou capaz de fazer, ou não “ligo para que os outros acham” por isso não arrisco?
  • Eu falo o que penso ou morder o lábio, para que eu não penas plissado ou me sujeitar às críticas?

Claro, estar disposto a assumir um risco não significa que tudo o que você tentar vai dar certo. Mas, como cada pessoa bem sucedida irá dizer, é só por estar disposto a cometer erros e tentar algo novo que você pode sempre fazer mais do que aquilo que já foi feito antes.

Daqui a dez anos haverá pessoas que alcançaram o sucesso. Enquanto não sabemos o que eles vão ser, uma coisa é certa – eles não vão ser pessoas que tenham ficado dentro de sua zona de conforto. Ao contrário, eles serão as pessoas que continuaram a “esticar-se”, mesmo quando as coisas estão indo bem, e que estão dispostos a falha ou parecer loucos ao arriscar. A pergunta é – você será uma delas?

No nosso mundo cada vez mais competitivo, há pouca segurança em ficar somente no “seguro”. Estar disposto a sair da zona de conforto e abraçar o desconforto é cada vez mais crucial para o sucesso no trabalho e na vida.

 

Este artigo foi adaptado do original, http://www.forbes.com/sites/margiewarrell/2013/04/22/is-comfort-holding-you-back/” , da Forbes Magazine.

Lemann, o empreendedor mais rico do Brasil

A pouco tempo, escrevi um artigo aqui neste blog, onde falava da importância de ter boas referências para podermos nós tornamos, se não igual, próximos a ela. Jorge Paulo Lemann é uma delas.

 

Só faltou acrescentar a Heinz!
Só faltou acrescentar a Heinz!

Bacharel em artes e ciências pela Harvard University, quando recém formado, atuou como colunista financeira do Jornal do Brasil e como corretor de ações. Hoje, com 73 anos, é o homem mais rico do Brasil e o 33º do mundo, segundo a Forbes. Tem uma fortuna avaliada em US$18 bi. Sua fortuna, vem de grande parte da Anheuser-Busch InBev, a maior fábrica-distribuidora de cervejas do mundo, tendo mais de 200 marcas em seu portfolio, entre elas: Budweiser, Stella Artois, Bud Light, Skol, Brahma e Quilmes.

O primeiro grande sucesso de Lemmann, foi com o banco de investimento chamado, Banco Garantia,  fundado em 1971 e vendido em 1998 para o Credit Suisse First Boston, por US$675 milhões. Em 2010, juntos com seus sócios, ele comprou a Burger King (umas das principais redes de fast food do E.U.A), em fevereiro de 2013 ele comprou a marca de molho de tomate americana, famosa no mundo todo: Heinz. Acho que os norte-americanos não estão felizes tendo um brasileiro como principal acionista de marcas que são quase símbolos deles.

Por seu faro de negócios, é chamado de “Buffett brasileiro”, Jorge Lemann parece não perder o apetite por aquisições de grandes marcas e bons negócios. Não mesmo. Essa semana, ele adquiriu a marca de sorvetes brasileira, Dilleto. Com apenas 5 anos de mercado, mas com um franco crescimento, ele resolveu adquiri-lá para, quem sabe, transformar a Dilleto na Haagen Dazs “brasileira”.

Como eu disse, Lemann pode ser uma referência de empreendedorismo. Trabalhou, investiu e investe em áreas diferentes, sempre que farejava um novo negócios, aí está ele. Adquiriu conhecimentos, e não ficou por aí, aplicou-os. Teve paciência, esperou o momento certo para adquirir as marcas mundias importantes… Quer mais empreendedor que isso? Observe e aprenda.

 

Quanto de felicidade seu dinheiro pode comprar?

Quanto dinheiro custaria pra fazer você feliz?

Provavelmente um monte… Quanto mais dinheiro, mais felicidade, certo?

Como regra, a resposta é sim, mas há um limite: $75000,00

De acordo com pesquisadores da Universidade de Princeton, Professor Daniel Caheman e Angus Deaton, dinheiro pode te fazer feliz, se não ultrapassar o limite de $75.000,00

Além disso, o efeito do dinheiro na felicidade depende de como felicidade é definida.

Quanto felicidade é definida como ter uma vida com satisfação “global”(em todas as áreas), dinheiro continuava aumentar a felicidade – além do limite acima. – Mas quando a felicidade é definida como a satisfação do dia-a-dia, mais dinheiro não aumenta a felicidade.

O que pode explicar isso?

Aqui há 3 possíveis explicações:

1 – Com mais dinheiro você provavelmente terá mais dor de cabeça. Se você é empresário, e está ganhando mais dinheiro com a expansão do seu negócio, por exemplo, você terá um monte de problemas para resolver no dia-a-dia. Você terá que contratar pessoas para te ajudar, e demitir pessoas que não te ajudam. Também, terá que toma decisões importantes, que poderão te acordar no meio da noite.

2 – A prosperidade que vem com o dinheiro não é a cura para todo o mal. Dinheiro é necessário, mas não é suficiente para uma boa vida, para a felicidade.

3 – Dinheiro pode comprar um monte de coisas que fazem você feliz, mas não pode comprar amizade verdadeira.
Amizade não pode ser encontrada e comprada em um mercado, mas deve ser estimulada e valorizada em relações imbuídas de confiança e amizade. Nenhuma quantidade de riqueza, poder, status, pode ser por amigos genuínos.

A questão central: bastante dinheiro é necessário, mas não é condição suficiente para a felicidade, que deve ser medida pela “vida vivida no dia-a-dia”.

Adaptado de: “How money happiness can money buy?” – Por Panos Mourdoukoutas, disponível em Forbes.com