Confisco da poupança: Boato ou realidade?

No mês passado, os saques da poupança atingiram valor recorde de R$ 6,3 bilhões – montante ainda maior que os R$ 5,5 bilhões de janeiro. Um dos motivos que fizeram isso, foi a dúvida de 9 em cada 10 poupadores: a poupança vai ser confiscada?

Guardar dinheiro na poupança, pode não ser uma boa opção. Fonte: Pixabay
Guardar dinheiro na poupança, pode não ser uma boa opção. Fonte: Pixabay

Esse boato começou a ser espalhado em meados de 2014. Voltando com força total em 2015, em mensagens do Whatsapp e Facebook. Inicialmente, fiquei um pouco receoso, então, decidi pesquisar para me certificar e ajudar a todos que estão com esse mesma dúvida.

A primeira vez que aconteceu o que tantos temem – o confisco da poupança – foi nos anos 90, no governo do então Presidente, Fernando Collor. Ele, juntamente com sua equipe, com uma medida provisória, resolveu  bloquear todas as aplicações com valores superiores a 50 mil cruzados novos, a moeda da época. A justificativa era de conter o consumo e estabilizar a inflação, que era de aproximadamente 30% ao mês, em 1990.

Mas, esse plano, que foi feito as pressas, sem muita análise dos fundamentos econômicos, não deu certo. Quatro anos depois, a inflação chegou a uma média anual de assustadores 764%. Precisando que o Governo da época – que já não era mais o do Collor – tomasse sérias e drásticas medidas econômicas, entre elas, a criação do Real.

Hoje, por mais que eu tenha sérias críticas ao Governo Dilma, acho absolutamente remota a possibilidade de confisco, da poupança ou outras aplicações financeiras.

Uma medida coma esse é muito impopular! A imagem desse governo já está desgastada, diria que ao extremo, portanto, eles não iriam querer desgastar ainda mais. Além disso, para que um confisco fosse real, teria que existir a aprovação do congresso e devido a perda de influência da Presidenta naquele recinto, com certeza não haveria consenso para aprovação.

Portanto, não se preocupem com a pergunta inicial. Se você tirou o seu dinheiro da poupança, você fez a coisa certa pelo motivo errado. Segundo o banco central, a poupança no dia 12 de março de 2015, está remunerando seu suado dinheirinho em módicos 0,6% ao mês. Nem podemos considerar a poupança um investimento, já que a inflação está prevista em 7% ao ano.

Aproveite que agora você sabe que o confisco é boato e que a poupança está pagando menos do que a inflação, comece a pesquisar maneiras de fazer seu dinheiro render mais. Quem sabe você não encontra uma oportunidade disfarçada para empreender?

Anúncios

Quando falta humildade…

A fila do banco é um local altamente favorável a encontrar alguém que você conhece. E, de quebra, é uma lugar onde você escuta todo tipo de conversa – sem moralismos, dizendo que é feio escutar a conversas de outros, a não ser que você leve um tampão para os ouvidos – e hoje, presenciei uma beeem interessante, que não podia deixar de figurar no nosso espaço.

Aqui no Paraná, temos um projeto que se chama “Bom negócio Paraná”, que é basicamente, uma capacitação para empresários, bem como uma consultoria em qualquer setor de sua empresa, que necessite, sem custos! e o melhor: se precisar, você tem uma linha de empréstimos, com juros subsidiados pelo governo do Estado, ou seja, melhor e menor taxa do mercado. Para fazer parte desse projeto, você deve realizar um curso, onde são abordados aspectos de gestão, que podem ser crucial para o sucesso de sua empresa.

Fila de banco pode ser um aprendizado
Fila de banco pode ser um aprendizado

A conversa que presenciei hoje, foi de dois alunos desse projeto. Sem dar nome “aos bois”, vou chamar um de pessoa “A” e o outro de pessoa “B”.

“A” pergunta para “B” o que ela está achando do curso, e ela prontamente responde:

-Ah, não estou gostando muito… porque tudo que o professor fala no curso, eu já sei…

Bom, se a pessoa já sabe de T-U-D-O, então ela deve ser a senhora Gestão… e ela está mais interessado no fim(empréstimo) do que o meio(curso), conclui-se. Mas, após algum tempo de conversa, eis que surge:

-Bom, vou fechar minha loja… não estou conseguindo pagar as despesas fixas… se você souber de alguém que queira comprar…

como uma pessoa que sabe de tudo sobre gestão, não conseguiu salvar sua própria empresa?
Como uma pessoa que sabe de tudo sobre gestão, não conseguiu salvar sua própria empresa?

Então, surgiu uma enorme questão em minha cabeça: como uma pessoa que sabe de tudo sobre gestão, não conseguiu salvar sua própria empresa?

A moral que eu gostaria de levantar aqui com esse enredo, é a bandeira que eu sempre prego: aprendizado. Entre outras coisas, só podemos ser bem sucedidos em nossos projetos em nossa vida, principalmente em se tratando de empreendimentos, com aprendizado, e ele só vem quando adotamos uma postura de humildade. Quando admitimos que não sabemos de tudo, e por mais experientes que somos, de qualquer situação, podemos extrair algo. Se você está vivendo uma situação, e não consegue achar nada de aprendizado, cuidado! A falha pode estar em você. Empreendedor precisa ter a mente aberta, dessa forma, surgirão resoluções de problema e novas oportunidades de negócio.

Quando falta humildade… o crescimento é nulo.

[Review] O Príncipe

O livro que será comentado nesse post é “O Príncipe”, escrito por Maquiavel, publicado 1515. Como todo autor clássico, Maquiavel fez uma obra que ultrapassa o tempo, mesmo nos dias atuais, sua obra é essencial a todos que exercem algum cargo de liderança. Todo empreendedor é um líder, logo, leitura necessária!

Quando Maquiavel escolheu o título do livro, O Príncipe, ele não pretendia restringir sua obra a apenas a Príncipes(nos dias de hoje, Príncipe é o filho de algum monarca, destinado ou não a ocupar o trono) ao contrário, em sua obra, esta palavra designa o principal cidadão do estado. Então, com este livro, procurou estudar e orientar a pessoa que governa, seja na esfera pública ou privada.

Destacarei alguns trechos que consideramos importante, em seguida faremos considerações. Vamos lá!

(…)Além disso, a presença do governante inibirá a ganância de seus lugares tenentes em despojar a província. Os súditos poderão ter acesso direto ao Príncipe para suas reclamações. Por isso, se quiserem agir com lealdade encontrarão mais razão para amá-lo; e, se tiverem a inclinação contrária, terão mais motivos para temê ló. (…)

Esse pensamento é bem claro, o governante deve manter canais de comunicação, que funcione para seus liderados falarem e pata que ele responda. Isso servirá para medir sua aprovação através de comentários, e saber se seu projeto administrativo está sendo aceito. A informação é tudo para o governante. O Principe inteligente ao perceber algum mal entendimento, ou não aceitamento de algum estratégia/comando… pode rapidamente resolver, antes que vire um problema viral.

(…) é bom ser e parecer piedoso, fiel, humano, íntegro e religioso; mas é preciso ter a capacidade de se converter aos atributos opostos, em caso de necessidade.(…)

Aqui, pode se entender que todo o Principe deve ter uma aparência de um um homem calmo e amigável. Isso desperta a confiança nas pessoas. Porém, com a mesma intensidade que se mostrou essas qualidade positivas… Deve se também mostrar os atributos opostos quando necessário! O líder deve ser rígido com problemas que afetam sua área… Para que eles sejam resolvidos e não mais ocorram. Demonstrando essa dualidade, dificilmente, os liderados vão querer “pisar na bola”.

“(…) aqueles que se tornam príncipes exclusivamente pela sorte empregam nisso pouco trabalho, mas só a muito custo se mantém na nova posição(…)”

Na ótica de Maquiavel, a preparação para se chegar ao poder, deve ser uma estratégia a ser estudada e percorrida… Se for feita dessa maneira, o principe conseguira assumir e realizar suas tarefas com eficiência e eficácia, conseguindo atingir os objetivos propostos.
Agora,se príncipe chegou ao poder pela sorte, como tudo na natureza que nasce e cresce com rapidez, enfrenta grandes dificuldades para resistir a ventos fortes.
Neste caso a situação do principe não será das mais fáceis, mas a solução será recuperar o tempo perdido, estudando como ser principe, já no poder, correndo o risco de não tomar boas de decisões.

“(…) por isso, o príncipe prudente procurará meios pelos quais seus súditos necessitem sempre do seu governo, em todas as circunstâncias possíveis – e fará, assim, com que lhe sejam sempre fiéis(…)

Neste trecho, Maquiavel diz que o governante deve sempre criar uma certa dependência dos liderados para com líder, porque dessa forma, eles sempre o vão procurar.
Se o príncipe, tomar boas decisões, sempre alcançar os objetivos traçados, já estará criando uma dependência, porque é esse o objetivo do líder.

“(…) pois os homens nunca se inclinam a empreendimentos que prometem ser difíceis, e nunca parecera fácil atacar aquele que tem sua cidade bem defendida, e não é odiado pelo povo(…)”

O príncipe deverá ter também ao seu lado uma boa equipe, que o ajudará nas decisões. Ele poderá passar algumas tarefas que julgar necessárias ser feitas para seu corpo técnico. É importante salientar que sempre que houver recompensa envolvida, o príncipe deve ser o primeiro a participar, dessa forma estará linkando seu nome a algo positivo.

“(…) os príncipes, por conseguinte, nao deveriam ter outro objetivo ou pensamento, além da guerra, suas leis e sua disciplina(…)”

O autor comenta que o príncipe deve sempre ter em mente a guerra, hoje podemos entender guerra como a concorrência ou até mesma a sua permanência no poder.
O pensamento deve estar sempre na guerra, mas no sentido de traçar estratégia para vencer. Focar na solução, ainda que futura, não no problema.


Maquiavel tem uma grande preocupação com a imagem pública do príncipe. Ele recomenda que o mesmo, sempre tente aparentar ter mais qualidades positivas do que realmente tem. Dessa forma, ele estará fortalecendo se entre os seus e amedrontando os adversários.

Procuramos aqui, destacar alguns pontos importantes que todo líder de observar. Esperamos que este objetivo tenha sido atingido! Finalizaremos como uma frase de Maquiavel: “Decidir o destino de terceiros, distribuir o bem e o mal, eis o que aproxima os príncipes dos deuses e dos demônios.”

20130204-002435.jpg